Saúde


Ácido Clorídrico (HCI)
você vive sem ele?

Hilton Claudino é Fitoterapeuta, trofoterapeuta e naturoterapeuta.
Tel. 012 3883 – 1011 – whatsApp: 12 98117-3044 – loja.hiltonfito.com.br

Ácido Clorídrico (HCI), você vive sem ele? você o conhece? Quem deveria falar-lhe sobre ele provavelmente nunca o fez, quer conhece-lo? Não? Tem preguiça de ler? bom… problema seu.

Uma verdade e que pouco é propalada, é que quando os alimentos são bem mastigados automaticamente no estômago é produzido o ácido clorídrico (HCI), e daí ele passa a integrar o suco gástrico proporcionando um pH adequado, ou seja, um ambiente apropriado para que ocorra a ação das enzimas digestivas. Esse ácido é fundamental para que a digestão seja perfeita, sem ele isso é impossível acontecer.

Normalmente a partir dos 50 anos de idade, todas as pessoas têm uma baixa dos níveis de ácido clorídrico no estômago. Quando por motivos de uma mastigação deficiente a pessoa tem baixo nível de ácido clorídrico no estômago, é chamado de hipocloridria e a sua ausência total é chamado de acloridria.

O que acontece quando o estômago não produz o ácido clorídrico:

1-Ocorre falta de enzimas digestivas, as quais são produzidas por ele. A falta dessas enzimas causa má digestão, e os nutrientes contidos nos alimentos não são absorvidos.

2-O bolo alimentar ou quimo fica retido no estômago por um longo período a espera que fique no ponto e, enquanto isso não acontece, o alimento produz fermentações indevidas e até pútridas, podendo produzir flatulências que são os gases, toxinas e assim ficamos inchados e intoxicados, sentimos azia, refluxo, queimação, mau hálito, gastrite, úlceras.

3-Sem ácido clorídrico em níveis normais no estômago, as bactérias, vírus e fungos não são exterminados. As bactérias causadoras de doenças e infecções que tanto mal causa a nossa saúde, foram desenvolvidas pela ausência do ácido clorídrico, é esse ácido que reduz ou impede o desenvolvimento e a sua respectiva proliferação. Quando o nosso estômago possui bons níveis de ácido clorídrico, não existe vírus e bactérias que sobrevivam quando lá adentrarem.

4-Sem ácido clorídrico os sais minerais não são convertidos.

5-A falta do ácido clorídrico deixa de ativar a enzima pepsina, que é responsável pela quebra de proteínas. Não havendo quebra de proteínas acontece carência de aminoácidos. A carência de aminoácidos prejudica o sistema endócrino, imunológico, a produção de hormônios, e de enzimas que são responsáveis por dar vida e sustentação às células.

Observações:

1-Segue um exemplo para se saber da ação e de quanto o ácido clorídrico é poderoso, pois bem, se você conseguisse enfiar a sua mão de goela abaixo, levando-a até o estômago, e deixasse lá por 20 segundos, ao retirá-la você iria ver que veio somente os ossos, a parte carnosa foi decomposta pelo ácido clorídrico.

2-Se depois de uma refeição você beber café e usar tabaco, isso corrobora ainda mais para uma péssima digestão, é que eles aceleram a passagem de alimentos do estômago para o intestino, e isso não é bom, pois, não se produz ácido clorídrico a contento, e faz com que o intestino receba alimentos que não foram devidamente processados no estômago, e no intestino eles servirão para alimentar as bactérias ruins. Os alimentos quando saem do estômago estão ácidos, porém, a acidez é neutralizada pela bile e pelo bicarbonato antes de ingressarem no intestino.Figura_Acido

O que fazer para manter bons níveis de ácido clorídrico:

Alecrim:

É eficaz para aumentar a produção do ácido clorídrico e do suco digestivo, regula a flora intestinal e promove a ação das enzimas do fígado que eliminam as toxinas do corpo. O Alecrim combate a azia e o refluxo gastroesofágico, para essa finalidade aconselha-se ingerir durante o dia três xícaras (chá) dessa planta, que deve ser preparado sob a forma de infusão.

Espinheira Santa:

Esta planta é realmente um fenômeno, é outra dádiva da natureza. Quem tem carência de ácido clorídrico esta planta aumenta a sua produção, mas, se você tem excesso desse ácido ela diminui seus níveis. Enfim, a espinheira santa regula a produção do ácido clorídrico atendendo as necessidades do seu organismo. Por outro lado, os remédios ministrados para tratar problemas de acidez estomacal nos deixa predipostos a desenvolver um câncer.

Consumo: Prepare o chá sob a forma de infusão, beba três xicaras (chá) durante o dia. Quando o chá estiver de morno para frio e se quiser pode adoçar com uma colher (chá) de mel, desde que não seja diabético. Açúcar nem pensar.

Mel:

Devido a sua ação anti-inflamatória e antioxidante, o seu consumo regula, protege e recupera danos na mucosa gástrica. O mel, produz e mantém as boas bactérias, não irrita ou agride o estômago, não desenvolve nem mantém processos inflamatórios, e não afeta o sistema imunológico. Dessa forma, o mel contribui eficazmente para sanar problemas digestivos e intestinais.

Consumo:

Aconselha-se ingerir uma colher (sopa) durante o dia, pode comer de uma só vez, ou dividida em duas a três vezes.

Se for diabético não utilize mel, e crianças só deve comer mel depois de um ano de idade.

Argila Medicinal Verde:

É de grande importância nesse processo. Pode fazer constantes aplicações de argila verde preparada com água em temperatura ambiente sobre todo o abdômen e deixe agir por 45 a 60 minutos.

Outra boa opção é consumir a água argilosa, que consiste em dissolver uma colher (sobremesa) de argila verde que seja comestível, em um copo de água (não utilize recipiente plástico ou metálico). Mexer bem por 3 minutos, deixar em descanso por 30 minutos e depois beber somente a água turva (despreze o resíduo que ficará no fundo do copo). Pode beber um copo diariamente. Os benefícios pelo consumo da água argilosa são inúmeros, exemplos, combate o refluxo gastroesofágico, contribui para a cura de gastrite e úlceras, neutraliza o excesso de acidez no estômago, absorve toxinas eliminando-as pelas fezes. Como se percebe o uso da argila medicinal verde é muito amplo e poderoso em casos dessa natureza.

Alimentação:

Para o tratamento natural dos dois casos (hipocloridria que é o baixo nível de ácido clorídrico no estômago, e acloridria que é a sua ausência total) é necessário consumir alimentos que aumentem a produção de ácido clorídrico, e, é evidente mastigá-los bem. Se sabe também que a deficiência do mineral zinco e de vitaminas do complexo B, presentes principalmente nas frutas, pode interferir negativamente na produção do ácido clorídrico.

Vinagre Natural de Fruta Maçã Orgânico (recomendo da marca São Francisco):

É um forte estimulante da produção de ácidos digestivos, notadamente do ácido clorídrico. Esse tipo de vinagre é rico em enzimas digestivas, elas quebram rapidamente qualquer alimento consumido durante as refeições, além, de eliminar o mercúrio quando contido em peixes.

Consumo: Pode ingerir uma colher (sopa) diluída em uns 3 dedos de água depois das refeições. Se sofre com refluxo beba-o uns 5 minutos antes das refeições.

Leite de Magnésia:
É outra boa opção para tratamento da acidez estomacal.