Apiculturismo


Apiculturismo: um horizonte expandido aos apicultores

Texto: Tânia Soares.

Vista do apiário que tem mais de 900 colmeias.

Vista do apiário que tem mais de 900 colmeias.

O Apiário Nona Emília, localizado em Itupeva (SP), é um exemplo de como a apicultura pode abrir caminho para novas atividades e, a partir delas, fortalecer-se. Atento aos impactos que a expansão urbana provocada pela especulação imobiliária na região, o apicultor Ademir Vanini transformou o que poderia ser um problema – a conversão das propriedades rurais em aglomerados urbanos e consequente afastamento dos jovens das atividades rurais – em uma oportunidade.

“Há 22 anos, percebi que as propriedades rurais perdiam muitos jovens para as grandes cidades pela redução de oportunidades para eles”, lembra Ademir Vanini, fundador e proprietário do Apiário Nona Emília. “Percebendo essa necessidade de manter os jovens no campo, junto com outros proprietários da região, ajudei a formar uma associação para trabalhar com o turismo”, conta.

Vista do meliponário com mais de 18 espécies de abelhas sem ferrão

Vista do meliponário com mais de 18 espécies de abelhas sem ferrão

Nascia assim a Associação de Turismo Rural “Circuito das Frutas” hoje referência no turismo do Estado de São Paulo. As principais rodovias do estado passam por Itupeva, o que torna aproxima a região de outras áreas metropolitanas, como São Paulo, Campinas, Jundiaí e Sorocaba. “Todos grandes centros consumidores que ajudaram a impulsiona a economia da nossa cidade. Hoje Itupeva está em 2º lugar no estado em fluxo de turistas, Cerca de 10 milhões de pessoas nos visitam por ano, ficamos atrás apenas de Aparecida do Norte com o turismo religioso”, reforça Vanini.

A experiência

Para se direcionar ao turismo rural, Vanini e sua família desenvolveram o conceito de Apiculturismo: a própria atividade apícola e seus desdobramentos são o atrativo aos visitantes. O Apiário recebe grupos de estudantes, equipes de empresas, pesquisadores, famílias e casais em busca de aprendizado, entretenimento, diversão e a experiência direta de ver como vivem as abelhas e como são produzidos o mel, o pólen, a própolis e demais produtos apícolas.

Vistação do apíário por escolas

Vistação do apíário por escolas

No Apiário Nona Emília o Apiculturismo está dividido em três modalidades: a Visitação sem Agendamento, voltada a turistas espontâneos, ou seja, sem o atendimento de agências, modalidade em que o visitante não paga taxa, mas tem acesso a todos os atrativos como o passeio pelo sítio, visita ao Meliponário, visita ao Apiário, alimentação dos peixes, passeio pelos jardins para conhecer as plantas nectaríferas e poliníferas, e visita a loja. Na Visitação com Agendamento, visitante paga uma taxa e tem acesso a todos os atrativos acompanhados de um ou mais monitores, especialmente treinados. “Nessa categoria atendemos a grupos familiares, grupos de escolas para visitas pedagógicas e grupos da Melhor Idade. Para complementar a experiência pode ser servidos café da manhã, almoço, café da tarde e até um jantar caipira com moda de viola”, explica Vanini.

Vistação de escolas na casa do mel.

Vistação de escolas na casa do mel.

Na terceira modalidade, o Roteiro com Agendamento, visita monitorada é mais completa, incluindo visitas ao Meliponário, ao Apiário e à Casa do Mel, palestra com colmeia em caixa de vidro, sobre as plantas nectaríferas e poliníferas, palestra sobre as abelhas e seus produtos, degustação dos produtos das abelhas, palestra sobre a produção de vinhos artesanais, compras desses produtos na loja do sítio, e ainda atividades recreativas como a alimentação dos peixes e uma peça de teatro pedagógica sobre o mundo das abelhas.

Desenvolvimento econômico e prosperidade

Ampliar as atividades do apiário por meio do atendimento aos turistas deu a Ademir e sua família diversas vantagens competitivas. Além de ter criado a própria marca, o que dá mais autonomia ao negócio, o Nona Emília, ao levar o consumidor final a visitar o sítio, realiza a venda direta, conseguindo melhores preços para os produtos apícolas, além de criar oportunidade para a venda de outras manufaturas do sítio, o que promove a diversidade de culturas na propriedade e ajuda a compensar a sazonalidade da apicultura.

Loja de produtos e adega

Loja de produtos e adega

“Dessa forma nosso mel fortalece nossa marca, não a de terceiros, conseguimos agregar mais valor aos produtos, melhorando consideravelmente os ganhos e por meio as demais atividades fidelizamos os clientes, e clientes satisfeitos sempre trazem mais clientes”, esclarece. “Com esse direcionamento o apicultor pode praticar os próprios preços e se proteger as altas e baixas do mercado”, completa.

Com toda essa criatividade, Ademir Vanini se orgulha mesmo é em ter o sistema de agricultura familiar como base de seu trabalho. A equipe do Nona Emília é formada por oito colaboradores membros da família, seis colaboradores moradores da região, todos registrados formalmente, e ainda quatro colaboradores contratados para os fins de semana.

“Nada é mais importante do que manter nossa família unida. Trabalhamos todos juntos, se um faltar por algum motivo os outros cobrirão seu lugar. Também trabalhamos de forma alternada, para que todos tenham tempo livre para descansar. Hoje tenho meus filhos e meus netos sempre perto”, celebra Vanini.

Quadro_1_Apicuturismo

Quadro_2_Apicuturismo