Artigo


Aprendendo com as Abelhas

Vera Amatti – Jornalista e apicultora

Curso prático de manejo em Apicultura introduz fundamentos e abre perspectivas pessoais e profissionais para empreendedores ou pessoas que buscam novo estilo de vida

O concorrido Curso de Iniciação à Apicultura teve sua edição de número 192 entre os dias 5 e 13 de dezembro de 2020. Com limites impostos pelo isolamento social e tomadas as medidas propostas pelas autoridades, os 20 alunos que vieram das diversas cidades do estado de São Paulo e de estados vizinhos tiveram a chance de conferir, in loco, a lida diária com as abelhas Apis e, de quebra, ganharam uma consultoria e dicas de meliponicultura com o professor Álvaro Chaves de Oliveira.Fig_1_Aprendendo

Ministrado também pelo presidente da APACAME, Eloi Viana da Silva, o curso de dois finais de semana é suficiente para despertar a paixão e a curiosidade pela Apicultura, para alguns; e tirar dúvidas de manejo e corrigir procedimentos, para outros. O diretor técnico da entidade, Celso Henrique, deu palestra especial sobre Apicultura no âmbito científico, abrindo um panorama para o estudo das abelhas e de sua produção no campo farmacêutico, terapêutico e clínico.

O coração do curso, entretanto, vai muito além do aprendizado e da cobiçada certificação conferida por uma entidade oficial e tradicional como a APACAME. O perfil heterogêneo dos participantes revela o que já sabemos por intuição: Criar abelhas é entrar em contato com o espírito da natureza, da criação divina, é fazer da atividade uma forma de sabedoria que não se aprende nos livros, mas na observação paciente de uma sociedade que trabalha de forma organizada, obediente à hierarquia, produtiva e competente para desempenhar seu papel no mundo.

Dessa forma, a turma 192, composta por pessoas tão diferentes – de advogados, dentistas e administradores a simples lavradores e caseiros – teve em comum o mesmo objetivo de fazer da apicultura uma atividade agradável, sustentável e lucrativa. De classe, transformou-se em colmeia que mantém estreita amizade para trocar informações e experiências. Alguns depoimentos de alunos revelam como o crescente interesse na área não se trata apenas de uma onda passageira, mas de uma mas de uma tendência que veio para ficar:

Fábio: “Considero que fazer o curso já é empreendedorismo, pois estudar e ter olhar crítico nos dará embasamento para concretizar o sonho de ter um apiário”.Fig_2_Aprendendo

Carol: “Eu era o tipo de pessoa que tinha pavor de abelha. Minha vida mudou completamente no ano passado, quando meu tio, que tem um apiário em Lambari, me chamou para ajudá-lo. Pensei em ficar em casa com o macacão que ele tinha me dado, mas depois de dois minutos em campo, senti que aquele era meu universo e tiramos 300 kg de mel em um dos melhores Natais que passei”.

Rita: “Estou animada com o curso só de poder entender como lidar com as duas caixas que temos no sítio!”

Murilo: “As possibilidades de desenvolvimento de atividades econômicas com as abelhas são tão grandes que é comum ter em mente também grandes projetos, elaborados e rentáveis, mas precisamos ter os pés no chão e primeiro saber todo o processo, os custos, dificuldades práticas e burocráticas”.

O curso de Iniciação em Apicultura é ministrado no apiário-escola da APACAME, em Santana do Parnaíba, periodicamente. Para fazer inscrições, basta acessar o site da loja da APACAME: www.apacameloja.com.br .