Editorial


Apicultura Brasileira.

Mais um ano se inicia e a pergunta é a mesma: Como está a Apicultura no Brasil? Infelizmente, apesar de sermos o quarto país em área territorial, estamos somente entre os 10 (dez) países maiores produtores de mel do planeta. Quando digo entre os 10 (dez) países, perdemos para a Turquia, que é o segundo maior produtor de mel do mundo, perdemos para a Argentina, México e outros países com área territorial bem menor do que a nossa.

Onde está o problema?

Acreditamos que vários são os fatores: distância do Apicultor em relação ao apiário; mortandade de abelhas motivada pelas pulverizações aéreas de agrotóxicos nas plantações; clima; qualidade dos enxames; manejo mal realizado; etc.

Infelizmente é um problema que temos sentido há muitos anos. Acreditamos que falta à apicultura brasileira, mais profissionalismo no campo da realidade de nossas abelhas. Temos que melhorar muito o nosso plantel, e só conseguiremos também com a qualidade de nossos apicultores, aplicando técnicas de substituição de rainhas periodicamente, melhorando a qualidade em termos de produtividade. É importante salientar que a apicultura não é quantidade de colméias, mas sim, qualidade de colméias com boa produtividade.

A união faz a força. O setor tem que se unir e criar condições para apoiar os apicultores, com técnicas utilizadas por outros países e que deram um retorno altamente benéfico.

Esperamos que as lideranças apícolas encontrem caminhos para que a apicultura brasileira possa crescer, com qualidade e galgar posições melhores no cenário nacional e internacional.

Radamés Zovaro – Diretor Técnico