FLORA MELÍFERA


Marianeira
Acnistus arborescens (L.) Schltdl.

José Luciano Panigassi
Coordenador Adjunto do Setor de Meliponicultura da APACAME
e-mail: jlpmelipona@hotmail.com

Uma das plantas que possui uma enorme importância para a manutenção da vida de muitas espécies de abelhas indígenas sem ferrão (meliponíneos), abelhas africanizadas ( Apis mellifera), pássaros e peixes.

Conhecida por Marianeira ou Fruto de Sabiá Acnistus arborescens, é um arbusto da família Solanaceae, que atinge 4m de altura, folhas simples, grandes, flores caulinares, fasciculatas, campanuladas e hermafroditas, de coloração branco esverdeado, com aproximadamente 3,2 cm de comprimento e 5,5 mm de diâmetro.

As floradas da Marianeira Acnistus arborescens ocorrem varias vezes ao ano, proporcionando um espetáculo visual e nos presenteando com um perfume muito suave e agradável, que é possível sentir até alguns metros de distância da planta.

Cada flor dura apenas 1 dia, porém as inflorescências se apresentam em diferentes fases de desenvolvimento, permitindo com que a planta forneça néctar e pólen às abelhas por um bom período e, frutos com maturações também gradativas, proporcionando alimentação excelente a diversas espécies de pássaros e peixes.

As abelhas que observei nas floradas da Marianeira Acnistus arborescens, foram: Mandaçaia Melipona quadrifasciata anthidioides, Jataí Tetragonisca angustula, Mirim Plebeia sp., Mirim preguiça Friesella schrottkyi, Mandaguarí Scaptotrigona postiça, Manduri Melipona marginata, mas outras abelhas indígenas sem ferrão as visitam também, sendo uma planta muito procurada pelo gênero Melipona.

A reprodução da Marianeira Acnistus arborescens, é feita através de sementes e estacas.

A mais interessante é, a reprodução por estacas pois, permite um rápido desenvolvimento das mudas em relação as produzidas por sementes.

Um fator extraordinário é observar que através da utilização de estacas na formação das mudas, surgem em boa parte das vezes as flores primeiramente e, logo em seguida as folhas. As vezes brotam as folhas e flores ao mesmo tempo. Então isso representa um fornecimento de néctar e pólen a curto prazo às abelhas e, conseqüentemente frutos à fauna.

É necessária a procura por plantas melíferas de rápido desenvolvimento, pois muitos meliponários estão em áreas urbanas, onde o espaço para plantas é restrito e, o meliponicultor tem urgência em fornecer às suas abelhas, néctar e pólen de forma mais rápida.

A Marianeira Acnistus arborescens pode também ser mantida em jardins, quintais e, em vasos grandes, conduzidas e monitoradas por podas.

É fundamental que todo reflorestamento tenha em sua lista, essa essência vegetal de grande importância para a manutenção da vida.